terça-feira, julho 29, 2008

[Memórias] Ser Desenhista...

Então meus caros,

Inspirado pelos meus amigos blogueiros Daniel Pereira e Hector Lima resolvi escrever um pouco sobre a experiência de ser desenhista de hqs no Brasil, fugindo um pouco do formato apresentado pelos dois, não vou me ater aos passos que temos que seguir, até por que são coisas que vc aprende na pele e acho que sempre temos alguma coisa a acrescentar as experiências de outros.

No meu caso está mais para um tipo de comentário a cerca do que é ser desenhista (ou roteirista) de quadrinhos; Não pretendo escrever sobre tudo envolvido, e não me considero o dono da verdade, aliás nem me considero um "profissional" dos quadrinhos, a grande intenção é gerar um debate e complementar com outras experiências, os dois leitores do meu blog podem ficar a vontade para puxar a minha orelha caso eu escreva alguma merda. [risos]

Acho que para quem quer se tornar desenhista de quadrinhos a palavra chave é "teimosia" isso mesmo, vc tem que ser um cara teimoso e ciente de onde está se metendo; Provavelmente tu vai perder noites de sono e sua namorada (ou esposa no meu caso.) vai reclamar que vc demora a vir pra cama, seus parentes vão achar que está perdendo seu tempo e até mesmo "você" vai se perguntar em alguns momentos se isso tudo vale a pena.

Muitos desenhistas tem o sonho de trabalhar para o mercado americano, eu não os desencorajo, afinal é muito bom receber pelo nosso trabalho e ainda tê-lo publicado pelas maiores editoras do planeta, mas confesso que nesse caso eu não tive muita paciência. Esteja ciente de que vais ter que fazer testes e mais testes, até que eles te peçam algum trabalho, e ainda assim isso não garante que vc vá trabalhar para eles, vai depender muito da aceitação do seu estilo, que na maioria das vezes terá que ser um genérico de algum artista que estiver na moda atualmente. O que conta muito nestes casos é a velocidade, lembra das noites de sono perdidas? Então.

Uma outra saída para quem quer se internacionalizar é falar (e escrever.) um pouco de inglês, o contato direto com os estúdios evita os agentes que querem ganhar nas suas costas e diversos mal entendidos, como pagamentos e envio de material. Você pode tentar também um contato com editoras Européias que são bem mais receptivas com material de fora.

Se vc acha que mesmo desenhando o Batman ou o Wolverine algum estúdio vai dar uma chance de publicar o seu personagem, acho melhor vc rever os seus conceitos, a não ser que vc seja um ganhador do Eisner é muito difícil um estúdio dar uma chance para um desenhista, ainda mais brasileiro, isso se não me engano aconteceu com o Deodato na época que ele desenhava a Mulher Maravilha e o resultado não foi tão bom.

Os irmãos Bá e Moon conseguiram essa façanha, mas eles não estão desenhando quadrinhos da linha de frente da Marvel e DC, e provavelmente não são agenciados por ninguém, tendo contado direto com o contratante, portanto é muito melhor trabalhar com um traço mais autoral do que ter que ficar copiando esse ou aquele, o reconhecimento é muito melhor; Diversos desenhistas já passaram por esses personagens (Superman, X-Men e afins.) e poucos deixaram a sua marca, tudo bem que a grana é boa por desenhá-los, neste caso a escolha e sua.

Deixando de lado o mercado americano, entendam que não execro os gringos, se por acaso me oferecerem algum trabalho e tiver uma grana legal envolvida, (o que acho quase impossível,) topo numa boa, até mesmo para desenhar o Wolverine se for o caso. Vamos dar uma olhada no mercado independente de Hqs, um mercado que ainda esta em formação mas que acredito que daqui a uns cinco ou seis anos já comece a se consolidar, no mercado independente a vantagem é que vc não precisa copiar ninguém e pode sempre tentar coisas novas, desde que tenham o mínimo de qualidade é claro, tenhamos bom senso.

O grande problema dos quadrinhos nacionais, pelo menos a alguns anos atrás, era a falta de qualidade, sempre que viamos algum gibi nacional na banca (fora as hqs da Mônica.) os desenhos eram sofríveis e a história era alguma coisa copiada da Marvel/DC ou algum herói brasileiro que falava com americano e que vivia numa cidade que se parecia muito com NY. Graças aos deuses da Narrativa Gráfica isso mudou bastante à alguns anos, essas produções sofríveis ainda existem, as vezes até com belos desenhos, mas em contrapartida temos material de qualidade saindo todos os meses e a quantidade vai aumentando aos poucos.

Ser desenhista (ou roteirista) independente é complicado, você não ganha muito com isso, pelo menos não o suficiente para se manter só nisso, a maioria como eu tem empregos fixos e desenha por prazer mesmo, é claro que eu espero um dia ter algum reconhecimento, mas não vou enganar ninguém, é meio que "um salto de fé" só que neste caso vc não vai morrer se não der certo. Tem alguns que conseguem publicar em álbuns para livrarias, o que acho legal, mas para tanto vc tem que ter o trabalho pronto, dificilmente uma editora aceita uma "idéia" para começar o trabalho, se pelo menos já tiveres o roteiro pronto e alguma páginas já é um começo.

No meio independente se encontra de tudo, desde aqueles cara que são praticamente os fodões em desenho e escrita e são super gente fina, até aqueles que não escrevem direito nem cartinha para a namorada e se acham o novo Alan Moore; É meu amigo essas "estrelas" existem e para elas eu só desejo sucesso nas suas empreitadas. Mas a vantagem é que são poucos que pensam assim, a maioria desses sujeitos são muito talentosos e não devem em nada para os gringos.

O que posso dizer para quem esta entrando agora nesse meio é: "vá estudar para ser médico!" [risos] Brincadeira. Fazer quadrinhos é muito bom, seja por prazer ou como trabalho e se vc realmente quer, se dedique, estude o máximo que vc puder, eu por exemplo desenho desde pequeno e ainda continuo estudando quadrinhos, seja comprando livros ou baixando tutoriais na internet. Quando vc consegue publicar o seu trabalho é gratificante, se vier uma graninha de quebra é melhor ainda, então veja suas metas, pense realmente no que vc quer fazer: Trabalhar no mercado americano? Criar histórias do seu personagem? Quaquer que seja a sua escolha seja teimoso, e vá a luta.

Acho que me desviei totalmente do real assunto que queria escrever, mas tudo bem.

Grande abraço a todos.

4 comentários:

Daniel Pereira dos Santos disse...

Bem legal, Genaro. Vou linkar.

Bruno Resende Ramos disse...

Oi ALex,
Fiquei impressonado com seu currículo, mas, sobretudo, com seus projetos gráficos. PArabéns! Já escrevo há bastante tempo textos de cunho fantástico. Pensei em investir na produção de uma revista trabalhando meus contos. O problema é que não sei desenhar. Qual seria o custo de produção da arte? Quanto você cobraria pelo desenvolvimento de um projeto. Pega leve que sou pobre, hein? Hehehehehehe.
Um abraço

Alex Genaro disse...

Caro Bruno,

Como diria meu querido pai, vc merece um cascudo! Como posso entrar em contato contigo se não deixou teu e-mail meu velho?! hehehe!

È claro que podemos entrar num acordo e quem sabe seus contos ganham as versões em quadrinhos que vc quer, temos várias coisas a levar em consideração como nº de páginas se é PB ou colorido, enfim.

Tenta me enviar um e-mail alex_genaro@yahoo.com.br aí agente conversa melhor.

Grande abraço

eQuipe ARC! disse...

É Vida realmente dificil, este ano no dia do desenhista essa dificuldade toda me deu inspiração para criar um poema:

O Desenhista

Certa vez um homem desafiou-se
Da própria capacidade de superação
Tinha motivos, para duvidar-se
E tinha mais ainda, garra pra superar-se

Noutra vez outro homem o desafiou
Então o superar, ele fez questão
E nem motivos, agora precisava
Era questão de honra, ele acreditava

Outrora, ninguém mais o duvidou
Ele achou falho e sem emoção
Teve pensamentos que não queria
Lembrou então, que a Deus ainda devia

Naquela hora ele desenhou
Desenhou e desenhou
Não se ateve aquela fase
Superou-se de novo e para sempre

E até hoje o homem desenha
Desenha e desenha
Por que sentiu, que não tem graça sua vida
Senão se superar todos os dias.

(por Alexandre Rambor Corrales)

E acho que ficou bem bacana, retrata bem o que o Alex genaro meu xará, falou!

Alex Racor
eQuipe ARC (Porto Alegre)
www.equipearc.blogspot.com